Sintomas das varizes pélvicas

Posted on

Um problema pouco conhecido, mas com muitos casos entre as mulheres é o de varizes no útero ou varizes pélvicas como também são conhecidas.

As varizes no útero infelizmente não tem cura, mas possuem diversos tratamentos que auxiliarão no controle dos sintomas. Os sintomas da hemorragia digestiva podem variar ligeiramente dependendo da região onde há o sangramento. Juliana Puggina Cirurgia Vascular e Endovascular CRM-SP 134.963 As varizes, apesar de serem mais comuns nas pernas, também podem acometer as veias da região pélvica. Essas varizes da região pélvica podem levar a quadro de dor durante e após a relação sexual e dor na parte inferior do abdome, a chamada dor pélvica crônica. Síndrome da Congestão Pélvica: entenda o que é isso As varizes pélvicas são veias dilatadas ao redor dos órgãos da pelve, como útero e ovários. A presença dessas varizes em grande quantidade leva ao aparecimento de sintomas, que caracterizam uma doença chamada Síndrome da Congestão Pélvica. Outros sintomas que podem surgir são o aumento do sangramento menstrual e aparecimento de varizes na vulva, varizes na vagina, nos glúteos e nas pernas. O refluxo nas veias da região pélvica podem, inclusive, ser causa de reaparecimento de varizes nas pernas daquelas mulheres que já realizaram cirurgia para varizes. Sendo assim, as varizes pélvicas devem sempre ser investigadas na recidiva da doença varicosa, porque podem ser a causa de seu reaparecimento em até 17% dos casos.

Sintomas de varizes esofágicas

  • Vômito com sangue ou coágulos de sangue;
  • Sangue nas fezes: fezes pretas, pegajosas e muito mau cheirosas;

Os portadores dessa síndrome, além dos sintomas relacionados com a congestão das veias pélvicas, apresentam ainda dores nos flancos e perda de sangue na urina (hematúria).

As varizes pélvicas nessa síndrome ocorrem pela sobrecarga de sangue nas veias ilíacas devido à obstrução. Além dessas duas síndromes, a obstrução das veias ilíacas e veia cava inferior por um quadro de trombose venosa profunda também podem levar ao aparecimento de varizes pélvicas. Nesse exame também pode se lançar mão do doppler, que é capaz de enxergar o fluxo de sangue nas veias e saber se estas estão insuficientes. Tratamento das varizes pélvicas Quando é feito o diagnóstico desse problema, precisamos identificar a causa das varizes para indicar o melhor tratamento. Juliana Puggina Cirurgia Vascular e Endovascular CRM-SP 134.963 R Mato Grosso, 306 - Sala 1001A - São Paulo - SP Tel. Quando internas, localizam-se acima do esfíncter anal e causam sintomas mais agudos. O sangramento gastro-intestinal é a perda de sangue a partir de qualquer órgão do trato digestivo (esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso). Alterações na circulação do sangue através do fígado de um paciente com cirrose levam certas veias do esôfago e do estômago a se dilatarem, tornando-se mais frágeis. Divertículos (geralmente do intestino grosso), hemorróidas e fissuras anais são também causas muito freqüentes de sangramento anal, os dois últimos, geralmente de pequeno volume.

Sinais e sintomas de varizes esofágicas

  • Sangue nas fezes: fezes pretas, pegajosas e muito mau cheirosas;
  • Sangue vermelho vivo nas fezes.

Outros sintomas podem não depender da hemorragia e são os que caracterizam a doença básica complicada por sangramento.Como o médico faz o diagnóstico?

A causa do sangramento é determinada, na grande maioria das vezes, por endoscopia, seja a do trato digestivo alto (da boca ao jejuno) ou baixo (ânus e intestino grosso). Sangramentos pequenos, sem outros sintomas, podem ser vistos ambulatorialmente, com consulta marcada. As varizes esofágicas podem também se formar na parte superior do estômago. O tratamento para reduzir a pressão arterial do sangue na veia pode reduzir o risco de sangramento de varizes esofágicas. O tratamento cirúrgico endoscópico com ligadura elástica de varizes serve para parar o sangramento das veias. Se as varizes esofágicas têm um alto risco de hemorragia, o médico pode recomendar um procedimento chamado ligadura elástica. Criando um caminho de suplemento para o sangue, o shunt reduz a pressão na veia porta e muitas vezes pára o sangramento de varizes esofágicas. Tratar a causa do sangramento de varizes esofágicas pode ajudar a evitar a sua recorrência e tratar a doença do fígado que pode impedir o seu desenvolvimento. Atualmente, nenhum tratamento pode impedir o desenvolvimento de varizes esofágicas em pessoas com cirrose.

A cirurgia de varizes é um procedimento realizado em Hospital para portadores de varizes de médio e grosso calibre.

  • Remédios analgésicos e remédios para varizes prescritos pelo angiologista ou cirurgião vascular.
  • Cirurgia
  • Técnica de embolização

Enquanto medicamentos bloqueadores beta são eficazes na prevenção de hemorragias em muitas pessoas que têm varizes esofágicas, não impedem a formação de novas veias.

O ginecologista faz o diagnóstico e tratamento das varizes pélvicas nas mulheres, e o urologista nos homens, através de exames, como eco-doppler, tomografia abdominal ou pélvica e angiorressonância. As varizes pélvicas não têm cura, mas os sintomas podem ser controlados através de cirurgia e remédios. Quem tem varizes pélvicas pode engravidar, mas deve fazer o tratamento antes. As varizes pélvicas na gravidez podem ser frequentes devido ao aumento do volume de sangue na grávida e ao efeito relaxante dos hormônios durante a gestação. Veias inchadas no esôfago ou estômago se assemelham a varizes que algumas pessoas têm em suas pernas. ; As pessoas com varizes esofágicas causadas pela cirrose geralmente têm outros sintomas relacionados com a sua doença hepática . O escopo é avançada suavemente para o esôfago de pesquisa para varizes esofágicas. ; Se tiver varizes esofágicas, o tratamento pode ser capaz de evitar o sangramento. ; Tratamento; O tratamento de emergência para o sangramento de varizes esofágicas começa com sangue e fluidos por via intravenosa (na veia) para compensar a perda de sangue.

A cirurgia de varizes a laser está rapidamente se tornando o padrão-ouro no tratamento de varizes.

Quando visitar o médico Sangramento de varizes esofágicas podem ser fatais.

Prognóstico Pelo menos 50% das pessoas que sobrevivem sangramento varizes esofágicas estão em risco de mais sangramento durante os próximos um a dois anos. Na cirurgia para varizes pélvicas, o médico faz um “nó” nas veias afetadas, fazendo com que o sangue circule apenas nas veias que estão saudáveis. Nos casos em que esta cirurgia ou a embolização não são eficazes, pode ser necessário fazer uma cirurgia para remoção das varizes, ou retirada do útero ou ovários. Durante o tratamento para varizes pélvicas, o paciente deve ter alguns cuidados como: Estes cuidados ajudam na compressão das veias e no retorno do sangue para o coração. O mau funcionamento pode fazer com que o sangue bombeado pelos músculos dos membros inferiores retorne com dificuldade ao coração, apresentando refluxo nas veias, causando as varizes. A longo prazo, pessoas com intestino preguiçoso que, por vários anos, fazem força para evacuar, acabam pressionando as veias nas pernas, aumentando as chances das varizes aparecerem. Finalizando, Sanches afirma que o fator ocupacional também pode aumentar e causar varizes e varicoses. No caso das varizes, o método mais comum é a retirada das veias dilatadas com procedimento cirúrgico. Um divertículo é uma pequena bolsa que se forma na parede do intestino grosso (cólon), semelhante a um dedo de luva, como pode ser visto na ilustração abaixo.

Pesquisa feita com mais de 1,5 milhão de mulheres mostrou que, embora pílulas também elevem as chances do problema, adesivo e anel vaginal são mais perigosos

Os sintomas podem ser muito parecidos, uma vez que o processo patológico é semelhante.

Pacientes com diverticulose sem sintomas não precisam de nenhum tratamento. Este artículo también está disponible en Español O surgimento de varizes no útero (ou varizes pélvicas) acontece devido à dilatação e alongamento das veias na região da pelve¹. Apesar de também afetarem homens, as varizes pélvicas nas mulheres são mais difíceis de identificar, uma vez que seus sintomas são bastante parecidos com os da endometriose¹. Entenda mais sobre as causas e sintomas das varizes no útero. A incidência de varizes pélvicas aumenta conforme a idade avança e também podem aparecer com maior intensidade durante a gravidez, regredindo após o parto¹. Em alguns casos, as varizes podem não apresentar sintomas; mas quando apresentam, lembram bastante a endometriose – o que pode confundir as mulheres e dificultar o diagnóstico. Entre os principais sintomas das varizes pélvicas, estão: ● fortes dores abdominais (na região do baixo-ventre)¹,²; O ecodopler colorido, apesar de ser um exame minimamente invasivo, auxilia no diagnóstico das varizes pélvicas, mostrando veias dilatadas na região dos ovários, do útero e do colo do útero¹. Como se tratam dedilatações e tortuosidades venosas, que impedem ou dificultam a circulação do sangue, as varizes podem ser tratadas por meio da embolização (esclerose das veias)³.

A principal função do gel é a redução e alívio da dor e os sintomas, emagrecimento, tonificação, fortalecimento das veias e a prevenção da formação de coágulos de sangue.

No caso das varizes pélvicas, todo cuidado é pouco, uma vez que as veias na região da pelve têm como função conduzir o sangue ao coração¹.

As dores abdominais também podem ser aliviadas com anti-inflamatórios e outras dicas que já ensinamos aqui, mas você deve ficar atenta aos seus sintomas! Ao primeiro sinal de dor pélvica crônica persistente, associada a outros sintomas, procure um médico especializado para descartar a possibilidade de varizes no útero. Devido as hemorróidas, esses sintomas podem ser discretos, durante muito tempo ou surgirem repentinamente. A vantagem deste tratamento é a solução da causa da hemorróida levando a melhora progressiva dos sintomas (dor e/ou sangramento). É comum os sintomas de hemorróida já regredirem nas primeiras semanas de tratamento. Varizes no Intestino Causa e o Tratamento Avalie esta postagem Um dos problemas que mais preocupam as mulheres, especialmente a nível estético, são as varizes (veias varicosas). As varizes são veias dilatadas e torcidas, por vezes mesmo dolorosas, que surgem geralmente nas pernas. Causas das varizes Ao contrário das artérias, onde o sangue circula impulsionado pelo batimento do coração, já nas veias o processo é diferente. No caso das varizes, estamos a falar de veias cujas válvulas não funcionam corretamente, o que provoca que o sangue se acumule nestas.

Tratamento das varizes internas

De seguida deixamos o quadro completo de sintomas provocados pelo aparecimento das varizes.

Tratamento O tratamento para as varizes pode ser dividido em dois grupos. – Quando os sintomas das varizes não aliviarem após algum tempo a realizar o tratamento indicado no primeiro grupo; Sintomas como alterações no hábito intestinal, fezes negras ou vermelhas e dor ou sensibilidade no abdômen podem dizer ao médico qual a área do tubo digestivo está sangrando. Normalmente, ele contém poucas bactérias quando comparado com o intestino grosso, além de ser um tipo de bactéria diferente. Ela é caracterizada por pequenas bolsas salientes nas paredes do intestino, que podem coletar as bactérias e mantê-las no intestino delgado, ao invés de enviá-las ao intestino grosso. Fique atento, e se estiver sentindo mais de um dos sintomas de forma contínua e persistente, consulte um médico para obter um diagnóstico confiável. Há testes simples que podem identificar a doença, portanto não ignore os sintomas a fim de não permitir que ela evolua para algo mais sério. Quando as veias ficam doentes e as suas válvulas param de funcionar, surgem as varizes, que são veias tortuosas onde o sangue fica congestionado (leia: VARIZES – Causas e Tratamento). As hemorroidas internas podem causar dor se surgir uma trombose ou quando o esforço crônico para evacuar causa o prolapso da hemorroida para fora no canal anal.

Sintomas das varizes pélvicas

As hemorroidas internas grau III e IV podem estar associadas à incontinência fecal e à presença de um corrimento mucoso, que provoca irritação e comichão anal.

Várias doenças, como fissura anal, câncer do reto, doença diverticular e infecções também podem se manifestar com sangue nas fezes. Entretanto, os sintomas podem ser parecidos com os tumores intestinais, principalmente nos cânceres do reto e ânus. Na maioria dos casos de hemorroidas externas e de hemorroidas internas grau 1 ou 2, o tratamento é feito inicialmente de forma conservadora, sem a necessidade de cirurgia. Se o tratamento conservador não for suficiente para controlar os sintomas das hemorroidas, tratamentos minimamente invasivos podem ser tentados. Tratamento cirúrgico para hemorroidas Caso os sintomas da doença hemorroidária persistam, apesar das medidas conservadoras ou minimamente invasivas, a intervenção cirúrgica deve ser indicada. Além dos casos de falha das técnicas mais simples, a cirurgia também está indicada nos pacientes com hemorroidas grau IV ou naqueles que têm hemorroidas internas estranguladas. No entanto, hemorróidas internas podem causar dor intensa se estiverem completamente “prolapsadas” e se projetam a partir da abertura anal e é impossivél empurrá-las para dentro. O crescimento do útero aumenta a pressão sobre as veias pélvicas e a veia cava inferior, uma grande veia do lado direito do corpo que recebe sangue das extremidades. Isso pode retardar o retorno do sangue da metade inferior do corpo, aumenta a pressão sobre as veias por baixo do útero e provoca uma dilatação com inchaço.

 Outros sintomas podem incluir: O prolapso das hemorróidas internas ocorre quando as veias incham e estendem sua posição do reto através do ânus.

Um prolapso das hemorróidas internas tem as seguintes características: As hemorróidas também podem causar coceira anal ou ao redor do ânus e uma sensação constante de necessidade de evacuar (tenesmo). Em pacientes com problemas de fígado, as varizes podem ocorrer devido ao duplo fornecimento de sangue para o reto. Quando examinadas com o endoscópio, as varizes retais ocorrem no reto, enquanto as hemorróidas podem ser encontradas no ânus. Fatores hormonais: os hormônios contribuem para o estabelecimento e piora das veias varicosas e dos sintomas nas mulheres. Outras podem ter varizes discretas e muitos sintomas. Algumas mulheres queixam-se de dor pélvica crônica, que pode estar associada a varizes pélvicas. Existem várias classes de compressão e tamanhos utilizadas em função do tipo de varizes, sintomas do paciente e gravidade da doença. Também pode ser utilizada a Escleroterapia com Espuma Ecoguiada para casos selecionados.Cada técnica tem sua indicação e o cirurgião vascular é a pessoa mais qualificada para escolher o melhor tratamento. As varizes mais calibrosas podem ser tratadas por cirurgia com excelente resultado estético e funcional.4.

Quando a trombose ocorre em uma veia mais profunda chama-se Trombose Venosa Profunda (TVP) e ocorre em uma ou mais veias localizadas geralmente nas pernas.

Juliana Amato, ginecologista e obstetra da Amato Instituto de Medicina Avançada, que garante que as mulheres com varizes pélvicas podem engravidar, “mas devem fazer o tratamento antes. Sabendo que a gravidez pode piorar as varizes pélvicas, agravando seu tamanho ou mesmo sintomas”, alerta. A doença pode ter seus sintomas controlados por meio de cirurgia e/ou remédios. Lembrando que o uso de medicamentos orais ajuda a diminuir a dilatação das veias e melhora os sintomas, mas nem sempre é efetivo. Por isso, a ginecologia e a cirurgia vascular/endovascular devem trabalhar juntos no tratamento das varizes pélvicas. Uma dieta rica em fibras e outros tratamentos naturais pode melhorar os sintomas dela (1). Quando as veias ficam doentes e as suas válvulas param de funcionar, surgem as varizes, veias tortuosas onde o sangue fica congestionado. Dependendo da gravidade dos seus sintomas, há uma série de exames que seu médico pode solicitar, a fim de fazer um diagnóstico. (9) O álcool pode ser desidratante e prejudicial para o sistema digestivo, piorando os sintomas das hemorroidas. Alimentos picantes também podem intensificar os sintomas do problema.