Diagnóstico das Varizes Esofágicas e Estratificação de Risco

Posted on

Quando ocorre uma hemorragia por varizes esofágicas fora dos grandes centros, não há a opção de tratamento farmacológico com vasodilatadores esplâncnicos, endoscopia de urgência.

REFERÊNCIAS A hipertensão portal é uma complicação de evolução progressiva da cirrose hepática, sua consequência direta é a formação de varizes esofágicas, com risco de hemorragia digestiva alta e sangramento. O sangramento por varizes esofágicas é uma complicação potencialmente letal da cirrose, principalmente em pacientes que apresentam outras complicações clínicas da cirrose como icterícia ou episódios prévios de hemorragia varicosa. No momento do diagnóstico, varizes esofágicas estão presentes em pouco menos de 50% dos pacientes e cerca de um terço dos pacientes com cirrose hepáticadesenvolverão hemorragia varicosa. Em pacientes com cirrose compensada (isto é, aqueles que não têm ascite, hemorragia por varizes, encefalopatia, ou icterícia), a classificação de Child-Pugh tem importante valor prognóstico. Dada a alta taxa de recorrência, os pacientes que sobrevivem a uma hemorragia por varizes aguda devem receber tratamento para prevenir a recorrência. As varizes gastroesofágicas ocorrem como consequência da hipertensão portal e são a principal causa de morbidade e mortalidade devido ao risco de hemorragia. Casos em que a hemorragia digestiva alta demande uma cirurgia mais invasiva são cada vez mais raros Cirrose não é causada apenas por alcoolismo. Nos pacientes com cirrose e varizes esofágicas se recomenda a prevenção da primeira hemorragia com betabloqueadores. Resumo A hemorragia digestiva alta decorrente da ruptura de varizes esofágicas é causa importante de morbimortalidade entre os pacientes com hipertensão porta.

Diagnóstico das Varizes Esofágicas e Estratificação de Risco

  • Check up médico;
  • Os exames de sangue;

Selecionado o paciente com risco, a confirmação seria realizada pela endoscopia digestiva alta, uma vez que esse exame apresenta custo significativo e desconforto para o paciente, especialmente para as crianças.

Palavras-chave: Varizes Esofágicas e Gástricas; Hipertensão Portal; Hemorragia Gastrointestinal; Endoscopia Gastrointestinal; Cirrose Hepática; Fatores de Risco. Resulta na formação de varizes esofágicas (VEs), varizes gástricas e gastropatia da hipertensão porta e, como consequência, na hemorragia digestiva alta (HDA). O tratamento para reduzir a pressão arterial do sangue na veia pode reduzir o risco de sangramento de varizes esofágicas. Se as varizes esofágicas têm um alto risco de hemorragia, o médico pode recomendar um procedimento chamado ligadura elástica. Atualmente, nenhum tratamento pode impedir o desenvolvimento de varizes esofágicas em pessoas com cirrose. Esta combinação faz varizes esofágicas muito perigoso, porque eles podem explodir e causar hemorragia com risco de vida. Sinais e Sintomas: - As varizes esofágicas geralmente não produzem sinais ou sintomas, a menos que sangrem, provocando vômitos de sangue, sangue nas fezes e choque hipovolêmico em casos graves. Saiba mais: - Varizes esofágicas são causa frequente de hemorragia do tubo digestivo, dando origem a hematêmese e melena. - A trombose da veia esplênica é outra causa de varizes esofágicas e há ainda outras causas mais raras.

Varizes esofagicas - Causas, sinais e sintomas

  • Cirurgia. Por vezes o mais importante é resolver a doença de base, a cirrose hepática, através de um transplante de fígado.

; As pessoas com varizes esofágicas causadas pela cirrose geralmente têm outros sintomas relacionados com a sua doença hepática .

; Prevenção; A melhor maneira de prevenir varizes esofágicas é reduzir o risco de cirrose. Como prevenir esta condição de saúde A melhor maneira de prevenir varizes esofágicas é reduzir o risco de cirrose. Os indivíduos com varizes esofágicas secundárias a cirrose hepática apresentam geralmente outros sintomas relacionados com a sua doença do fígado. Prevenção A melhor forma de prevenir as varizes esofágicas consiste em reduzir o risco de cirrose. Não existe vacina para prevenir a infecção pelo vírus da hepatite C. Se um doente tiver varizes esofágicas, o tratamento pode prevenir a hemorragia. Tratamento O tratamento de emergência da hemorragia por rotura de varizes esofágicas começa pela administração de sangue e de soros por via endovenosa para compensar a perda de sangue. Este tratamento reduz o excesso de pressão nas varizes esofágicas e diminui o risco de hemorragia no futuro. Quando contactar um médico A hemorragia das varizes esofágicas pode por em risco a vida dos doentes. Prognóstico Pelo menos 50% dos doentes que sobrevivem a uma hemorragia por varizes esofágicas encontram-se em risco de uma nova hemorragia nos próximos um a dois anos.

Sinais e sintomas de varizes esofágicas

  • Monitorar os sinais vitais e a função respiratória.
  • Avaliar o nível de consciência e sinais eminentes de insuficiência hepática.

Na fase de descompensação, ocorrem diversos sinais e sintomas como: O risco de desenvolvimento de cancro do fígado na cirrose hepática é de cerca de 1 a 4% por ano.

que possível em qualquer paciente com hemorragia digestiva alta e suspeita O risco de hemorragia recorrente é muito alta, e a taxa de mortalidade chega a 80%. Os indivíduos com varizes esofágicas que surgem secundariamente a cirrose hepática apresentam, na maior parte dos casos, outros sintomas relacionados com a sua patologia do fígado. O tratamento emergente da hemorragia devido à rotura de varizes esofágicas é feito, inicialmente, pela administração de soros e de sangue por via endovenosa. Diagnóstico de emergência Na maioria dos pacientes admitidos no hospital com hemorragia gastrointestinal alta, o diagnóstico de varizes esofágicas sangrantes depende de respostas afirmativas a três perguntas. A esofagogastroduodenoscopia é recurso soberano e indispensável para se obter a certeza diagnóstica e é também necessária para excluir a possível presença de outras causas de hemorragia digestiva alta. Estas varizes apresentam um risco elevado de hemorragia e, portanto, existem alguns tratamentos que permitem prevenir este acontecimento, sendo a Laqueação Elástica de Varizes Esofágicas um deles. Os pacientes eram cirróticos, apresentavam hipertensão porta com pressão > 12 mmHg e varizes esofágicas grau 2 ou 3 à endoscopia com ou sem histórico de hemorragia digestiva alta. Estas varizes apresentam um risco elevado de hemorragia e, portanto, existem alguns tratamentos que permitem prevenir este acontecimento, sendo a Ligadura Elástica de Varizes Esofágicas um deles.

As varizes esofágicas e cirrose

Varizes esofágicas com sangramento Com a alta mortalidade decorrente do sangramento, todo portador de cirrose deve estar alerta quanto a sinais de hemorragia (tabela abaixo).

Os principais fatores de risco para a hemorragia digestiva alta decorrente da ruptura de varizes esofagogástricas são: – hipertensão porta superior a 12 mmHg;