Mulheres que tomam pílula durantes anos seguidos não conseguem ter filhos

Posted on

A trombose, processo que envolve a formação de um coágulo que pode bloquear um vaso sanguíneo, pode acontecer em homens e mulheres, quer tomem ou não a “pílula”.

“Por exemplo, uma paciente hipertensa ou que teve uma doença no fígado não deve tomar a pílula. As mulheres brasileiras estão cada vez mais conscientes que as pílulas anticoncepcionais, aumentam o risco de trombose venosa profunda que é quando o sangue “coagula dentro das veias. Mas os ginecologistas sabem que uma parte significativa delas não consegue abandonar estas condições de risco durante o processo de escolher e também da necessidade de tomar a pílula. A trombose das veias das pernas é um desses efeitos adversos, e reconhece-se que ela é cinco vezes mais freqüente entre mulheres que usam pílula. As pesquisas mais recentes a esse respeito, dizem que mesmo mulheres acima dos 35 anos podem utilizar pílula, sempre avaliadas pelo médico. Nas mulheres fumantes acima de 35 anos, o risco de problemas relacionados à pílula aumenta e deve-se repensar o seu uso. Me agrada o fato de não ter que lembrar todo dia de tomar a pílula mas me assusta – e muito – o risco de trombose. Atualmente tem-se observado um medo aumentado de trombose nas mulheres que usam pílula anticoncepcional. Claro que quem usa pílula tem um fator de risco a mais, mas a ocorrência da trombose depende de uma soma de vários fatores de risco.

Pesquisa feita com mais de 1,5 milhão de mulheres mostrou que, embora pílulas também elevem as chances do problema, adesivo e anel vaginal são mais perigosos

  • Algumas mulheres têm dificuldade em fazer a toma diária e regular da pílula; e
  • Não protege contra as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Assim, a pílula anticoncepcional é entendida como um desses degraus e não o elevador que eleva o risco diretamente para o desenvolvimento da trombose!

Imediatamente após o parto, as mulheres têm um risco aumentado de coágulos sanguíneos; assim, deve perguntar ao seu médico quando pode começar a tomar uma pílula combinada, após o parto. Pode ocorrer sangramento de escape (perda de pequena quantidade de sangue) em mulheres em tratamento com pílula anticoncepcional, principalmente nos primeiros três meses de uso. O risco para tais eventos é ainda maior em mulheres com condições predisponentes para tromboembolismo e trombose venosos. Sim, mas não é a regra.Segundo a médica Rosa Neme, o risco de trombose pode aumentar em mulheres que apresentam predisposição genética. Mulheres que usam pílula têm maior risco de câncer de mama e de colo de útero? Carneiro, os anticoncepcionais com estrógenos e progesterona quando tomados por mulheres que fumam aumentam o risco de trombose, infarto agudo do miocárdio de acidente vascular cerebral (derrame). Se você esquecer de tomar um comprimido revestido Minesse A negligência de uma ou mais comprimidos revestidos pode criar um risco de gravidez. Essas chances aumentaram em 6,5 vezes entre as mulheres que usavam anel vaginal e triplicou entre as que tomavam pílula contendo levonorgestrel. Além disso, a gravidez também aumenta o risco de trombose ainda mais do que a pílula anticoncepcional e ninguém deixa de engravidar por causa disso.

Mulheres que tomam pílula demoram mais para engravidar quando suspendem o uso?

  • Tomar a pílula durante muitos anos pode causar infertilidade na mulher? Mito.

Uma causa comum de sangramento de escape nas mulheres em uso da pílula é o uso errado do anticoncepcional, principalmente quando a paciente se esquece de tomar o medicamento diariamente.

Algumas mulheres que relacionam a diminuição da libido com o início da pílula referem melhora quando trocam para uma marca com formulação de hormônios diferente. Na verdade, em mulheres jovens e saudáveis, o risco de trombose associada à pílula é muito baixo. Logo, estar grávida acarreta em um risco 3 vezes maior de trombose do que o uso da pílula. Nesses casos deve-se tomar cuidado principalmente, com quem tem predisposição ao risco de trombose, também agravado pela pílula. Já a pílula, além de evitatr a gravidez, ajuda a controlar a cólica menstrual e pode até diminuir o risco de câncer no ovário e endométrio. Por causa da grande quantidade de hormônios, a pílula pode provocar náuseas em algumas mulheres nos primeiros 3 meses de adaptação. Uma sensibilidade maior nos seios pode ser experimentada por algumas mulheres até um ano após começar a tomar pílula. Apesar de menos comum, infecção urinária pode aparecer em mulheres que começam a tomar pílula por causa das mudanças hormonais. Apesar de ser bastante popular, e um dos métodos mais indicados pelos ginecologistas, ainda há muito debate sobre os riscos que as mulheres correm com a pílula anticoncepcional.

Pílula aumenta o risco de trombose em até 6 vezes

  • Não faz mal se esquecer de tomar a pílula na hora correta, contanto que ainda se tome no mesmo dia? Mito.

A cada 100 mil mulheres em todo o mundo, 15 a 20 são diagnosticadas com trombose causada pela pílula anticoncepcional.

O uso de estrogênios conjugados em combinação com medroxiprogesterona pode aumentar o risco de provável demência em mulheres na pós-menopausa com 65 anos ou mais e não deve ser utilizado. Agora, se a ação da progesterona não possuir ação anti-androgênica, há aumento do risco de trombose principalmente em mulheres obesas, pois estimula a produção de fibrina”, explica o médico. A pílula anticoncepcional se disseminou entre as mulheres e sabe-se que atualmente mais de 90 milhões de mulheres utilizam esse método para evitar uma gravidez indesejada. TEIXEIRA, R. Pílulas anticoncepcionais e risco de trombose: as mulheres precisam entender mais sobre esse assunto. Caso pense que parar de tomar a pílula seja uma melhor opção para você neste momento da sua vida, como você pode fazer isso? Alguns médicos diferentes já tinham associado minha enxaqueca menstrual (com aura) à um possível risco maior de AVC ou trombose (esses efeitos colaterais que existem no mundo da pílula). Por exemplo: uma pílula com 35mcg de estrogênio desencadeia um risco maior de trombose que uma pílula de 30 mcg de estrogênio. Abaixo coloquei um esqueminha para vocês entenderem: Ou seja, engravidar aumenta MUITO mais o risco de ter trombose do que usar pílula. Muitas mulheres tem risco de trombose aumentado por terem alterações genéticas que predispõem a essa doença.

9. Mulheres que fazem o uso prolongado da pílula demoram mais a engravidar

O risco de ter uma trombose é mais elevado após o início do tratamento usando a pílula pela primeira vez.

O risco de adquirir uma trombose venosa profunda para mulheres tomando pílulas com desogestrel pode ser levemente mais elevado do que para aquelas tomando pílulas com levonorgestrel. Se 10.000 mulheres tomassem uma pílula com levonorgestrel durante um ano, 2 mulheres apresentariam trombose. Pílula e câncer O câncer de mama tem sido diagnosticado um pouco mais frequentemente em mulheres que usam pílulas do que nas da mesma idade que não as usam. Por isso, as mulheres que tomam pílula anticoncepcional correm um risco de 4 a 6 vezes maior de sofrer do problema. Alfonso: “Pode tomar, mas o ideal é parar o uso se for ficar imobilizada por longo período, pelo risco de trombose”. Mulheres que fumam e tenham mais de 35 anos não podem tomar pílula”. Também pode diminuir o desejo sexual das mulheres que usam pílulas com muita baixa dosagem Quando se fala em câncer nos ovários, no intestino grosso e no útero (endométrio), há indícios de que a pílula, de fato, ajuda a diminuir os riscos. O risco de eventos tromboembólicos e trombóticos venosos é ainda maior em mulheres predispostas para tromboembolismo e trombose venosos. O risco relativo de trombose venosa em mulheres predispostas é 2 vezes maior do que nas que não apresentam essas condições. thinkstock Existe risco de formação de trombos, infarto e tendência a ganhar mais peso entre as mulheres obesas que tomam pílula, mas o perigo é menor que o benefício. thinkstock A chamada enxaqueca com aura, que inclui sintomas visuais e sensitivos, aumenta consideravelmente o risco de AVC em mulheres que tomam pílula. É mais indicada a progesterona sintética levonorgestrel, pois, o estrogênio sintético aumenta o risco de trombose em mulheres com tendência. Qualquer cirurgia pode aumentar o risco de desenvolver trombose, pois é comum ficar muito tempo parado tanto durante quanto após o procedimento, o que prejudica a circulação. O risco de ocorrer uma trombose depois de uma cirurgia é maioria quando o paciente tem mais de 60 anos, principalmente idosos acamados, após acidentes ou AVC, por exemplo. Como a pílula favorece a formação de coágulos, mulheres que sofrem com o problema ou têm casos na família devem evitar o uso do medicamento. Os hormônios presentes na pílula anticoncepcional - drosperinona, etinilestradiol, estrogênio e progestágeno - aumentam o risco de trombose (4). Isso ocorre com muitas mulheres pois a pílula anticoncepcional pode provocar a diminuição dos níveis de testosterona no organismo.